Efeito Rapunzel – Parte I

 

imagem via eufalosozinha.wordpress.com

Foi-se o tempo em que para ter cabelo comprido era preciso esperar meses para ele crescer, hoje em dia as técnicas para deixar as madeixas mais longas evoluíram e se tornaram super práticas. Tão práticas que  eu passei de um índio moicano à  india Potira em ‘apenas’ 5 horas! Ainda bem, não é? Se você ainda tem dúvidas sobre esse assunto e gostaria de descobrir alguns detalhes e se jogar no cabelón, chegou a sua vez! Preparei um 3 posts para explicar tudo e tirar quaisquer dúvidas. Espia:

Efeito Rapunzel – Desmistificando tudo.

A técnica de alongar o comprimentos dos fios foi desenvolvida para as moças que  não tem paciência para vê-los crescerem, querem ganhar mais volume  ou  têm um crescimento de cabelo estagnado. Oi? Sim, aposto que você mesma ou alguma amiga sua reclama que o cabelo só cresce até determinada altura, depois começa a quebrar. Esse é o crescimento estagnado, quanto mais comprido o fio, mais ele perde a força. Um dermatologista pode até te ajudar ganhar mais uns milímetros, mas não passa muito disso.

Apesar de todo mundo – em algum ponto da vida – querer ter cabelão, aqui no Brasil ainda rola um ‘ti ti ti’ bem chatinho quando se trata de recorrer às maravilhas do mundo moderno. Algumas acham que quebra o cabelo, outras que a higienização é dificil, outras tem vergonha de admitir que usam e outras acham que quem usa é ‘montada’ e etc. Se você se encaixa nesta última categoria, pare de ler por aqui e até qualquer dia =). E pra você *linda* que ficou, vamos derrubar os dois maiores mitos – e de quebra um tabu – por trás do cabelón estantâneo:

Mito 1 – Quebra o Cabelo? É relativo.

Esse primeiro é considerado uma via de regra para a maioria das moças que já fizeram “megahair” e eu mesma cheguei a pensar nisso, mas o que muita gente não sabe é que cabelos mais fragéis e finos requerem técnicas diferentes de alongamento. O meu, por exemplo, quebrou muito quando fiz pela primeira vez e olha que eu cuidei bastante! Eis que eu descubro que estava utilizando a técnica* errada para meu tipo de cabelo.

Outro ponto importante é que perdemos de 80 a 100 fios de cabelo por dia, quando o cabelo está ‘preso’ no mega hair ele não solta quase nenhum fio. Quando a gente solta para fazer a manutenção, geralmente depois de 2-3 meses, é mais do que normal esses fios dizerem adeus, não se assuste.

Mito 2 – Higienização dificil? Mentira.

Outra bobeira que dizem por aí é que quem tem aplique no cabelo, ou não pode lavar direito ou não lava o cabelo direito. Sinceramente? Coisa de gente debochada e sem ter o que fazer na vida. Dá mais trabalho? Dá, mas o negócio é ter consciência de que o seu ritual capilar vai mudar e por isso, precisa de mais atenção. Por exemplo, é fundamental aplicar o shampoo anti resíduos a cada 3 lavagens de cabeça: limpa os folículos capilares a fundo, não deixam nada acumular na raiz e tiram qualquer vestigio de creme leave in, spray e afins. Outra coisa que muda é a aplicação de condicionador, que deve ser bem mais cuidadosa e além de jamais encostar na raiz, tem que tomar cuidado de aplicar uns 3 dedos abaixo do local em que o fio está preso.

Tabu – Vergonha de usar

Eu sei que isso nem é mito nem nada, tá mais para tabu, mas enfim…… Moças, não tenham vergonha de fazer o que sentem vontade por causa do que ‘fulano’ ou ‘ciclano’ vai pensar ou dizer. A cabeça é sua e o que vai encima, e dentro dela, é problema só seu, certo? A única ressalva é que tem que ser sempre muito bem feito.

Dá uma olhada em quem também recorre à uma ajudinha extra:

*Na parte II a gente vai falar sobre as técnicas utilizadas e os cuidados pertinentes a cada uma. Stay tuned! 😉

 

 

 

 

Anúncios

Pontinhos Indesejados.

 

Os inimigos de uma pela perfeita e de aparência saudável são vários: rugas, sol, poros dilatados e etc, mas os que mais incomondam são com certezas aqueles pontinhos escuros indesejados causados pela hiperpigmentação. Sim, minhas amigas, eles têm um nome e oficial e , para nosso alívio, cura.

A hiperpigmentação da pele é causado por vários fatores, dentre eles estão a acne e a cutucação da pele, sol em demasia e probleminhas hormonais. Estes dois primeiros são muitas vezes de solução mais dificil, já que consistem em um tratamento mais longo e na mudança de alguns hábitos como tomar sol, por exemplo. A hiperpigmentação acontece quando machucamos a epiderme e a melanina age com um pouco mais de “força” para sanar o problema, essa intensidade pode deixar manchas que somem em dias ou que demoram anos para nos abandonar.

Para resolver esse probleminha chato, podemos optar pelo uso de alguns produtos naturais que ajudam no dia a dia como cremes com manetiga de karité e manteiga de cacau na sua composição ou  o bom e velho óleo de semente de rosa mosqueta (R$ 20,00 – 15ml) que podem ser encontrados facilmente no mercado.

Agora se você não é lá muito paciente ou se, assim como eu, possui um problema mais tenso de  hiperpigmentação, a química é sua amiga! O produto mais eficiente para amenizar ou até mesmo eliminar este problema é a Hidroquinona, componente que possui concentração de 2% a 5% em cremes. Nas farmácias você encontra produtos com até 2% dela, mais do que isso só no dermato, mas não se engane: se não usada com sabedoria até 0,5% de hidroquinona deixa manchas feias na pele.

Clariderm Clear - R$46,00 (fps 15)

 

Clariskin - R$ 45,00

 

 

Não se esqueça de usar filtro solar diariamente, principalmente se estiver em tratamento. 😉

Maxi Colares

Tendência no mundo da moda desde ano passado, os maxi colares não vão embora tão cedo. Por serem um acessório nada básico e bem chamativo grande parte das pessoas ainda não aderiu à moda, mas tudo indica que isso seja apenas uma questão de tempo. As lojas de departamento começaram a investir e peças do tipo podem ser encontradas na C&A, Renner, Riachuelo e Marisa.

A variedade de preço e qualidade não é muito abrangente, mas serve para experimentar no dia a dia e depois decidir se investe em algo mais caro. De qualquer forma, os maxi colares geralmente aparecem em duas formas:

– aplicação em tecido: composto como uma gargantilha, com pedras coladas ou costuradas geralmente em um pedaço de couro/camurça e arrematada por uma fita de cetim para amarrar no pescoço.

– pedraria:  é construído como um colar normal e apresenta maior variedade de peças.

Para quem já se decidiu e quer investir em uma peça mais carinha, eu sugiro passear pela Acessorize e dar uma olhada em lojas on line como a Shopbop.com e UO .

Enrolando a cabeça.

Em qualquer época do ano o lenço é um dos acessórios mais versáteis e mais fáceis de utilizar para dar aquela incrementada no visual. Dá para usar pendurado na bolsa, enrolado no pescoço ou como uma coroa moderna no topo da cabeça. Esse último uso traz muitas vantagens: no verão é bom para proteger os cabelos dos raios solares – as mulçumanas e indianas têm cabelos lindos porque indiretamente protegem os cabelos da poeira e dos maleficios do tempo -, na primavera eles trazem leveza ao visual, no inverno nos mantêm quentinhas e no outono trazem um pouco mais de cor para o dia a dia.

Geralmente os lenços são usados no estilo bandana/pirata, mas dá para fazer muita coisa bonita na cabeça. Para incentivar o uso do lenço, a gente aqui do Glamourzinho separou três maneiras legais de usar esse acessório que faz toda a diferença: laços ou nós, tipo pirata e turbante (o jeito mais lindo de todos). Inspire-se. 😉

categorias

arquivo

bloglovin

clique na imagem e siga a gente pelo bloglovin

No Twitter